ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CRIANÇAS SOBREDOTADAS

Projetos

VILA NOVA GAIA

É um programa continuado de enriquecimento, dirigido a crianças com capacidades e talentos acima da média e que frequentam o ensino básico do concelho de Vila Nova de Gaia. A implementação em Gaia resulta de uma parceria entre três entidades: Associação Portuguesa de Crianças Sobredotadas, a Escola Superior Paula Frassinetti e o Município de Vila Nova de Gaia. Com inicio em 2011/2012, este programa foi desenvolvido em três Agrupamentos de Escolas — Dr. Costa Matos, Santa Marinha e Soares dos Reis, sendo que no presente ano letivo este programa contempla a integração de dois novos Agrupamentos.

Nelas

É um programa continuado de enriquecimento, dirigido a crianças com capacidades e talentos acima da média e que frequentam o ensino básico e secundário do Agrupamento de Escolas de Nelas. A implementação em Nelas resulta de uma parceria entre várias entidades: Associação Portuguesa de Crianças Sobredotadas, a Escola Superior Paula Frassinetti, Agrupamento de Escolas de Nelas, Fundação Lapa do Lobo, Universidade Católica Portuguesa em Viseu e outras. Com inicio em 2011/2012, este programa foi desenvolvido com crianças seleccionadas de todo o Agrupamento.

Porto

Sábados Diferentes é um programa que pretende desenvolver nas crianças e jovens com capacidades superiores. O seu potencial a interacção social com pares em características a sua criatividade a sua maturidade emocional as competências motoras; Prestar apoio e dar formação a pais e professores; Contribuir para o estudo científico da temática; Sensibilizar a sociedade portuguesa para as necessidades educativas destas crianças.

Beja

A APCS em cumprimento do artigo 4º alínea b dos seus estatutos assinou, em 2010, um protocolo com sócios residentes em Beja dando origem ao respetivo polo. A sua atividade é coordenada pela Dra. Ana Maria Rosa (psicóloga e professora especializada em educação especial). O polo desenvolve atividades com crianças, pais e professores. Conta com a colaboração científico-pedagógica de docentes da ESE de Beja e com o apoio da CM de Beja e de vários agrupamentos escolares

Lisboa

A APCS, em cumprimento do art. 4º alínea b dos seus estatutos, assinou, em 2012, um protocolo com sócios residentes em Lisboa dando origem ao respetivo Pólo. Em cada cem crianças, três a cinco terão capacidades excecionais. Como estão a ser atendidas na sua diferença? É urgente providenciar e garantir respostas educativas de qualidade para crianças com capacidades excecionais. Alguns possuem habilidade para lidar com conceitos abstratos, símbolos e ideias, outros interessam-se sobretudo por questões do domínio das ciências, outros ainda manifestam elevada preocupação com problemas de justiça social e evidenciam uma excelente facilidade na relação contextual, outros ainda em habilidades que impliquem destreza e controle no plano da motricidade. Todos revelam avidez de saber, criatividade, originalidade ou seja um estilo diferente de aprender e de fazer. Para desenvolverem as suas capacidades e talentos e conseguirem um desenvolvimento global salutar, mantendo a motivação, adquirindo hábitos de estudo e de trabalho, necessitam que a família e a escola as estimulem e apoiem devidamente. Isto é, necessitam de orientação e estímulo para desenvolverem os seus potenciais e crescerem de forma saudável.

Quem Somos

Os pais são a primeira linha de educação dos seus filhos.

A APCS - Associação Portuguesa das Crianças Sobredotadas, fundada no Porto em 1986, por Escritura de 23 de Setembro de 1986, no 4º Cartório Notarial do Porto, tem por fins específicos: a) consciencializar a opinião pública sobre a problemática das crianças sobredotadas, tanto a nível particular como oficial; b) criar condições estruturais para o apoio às crianças sobredotadas, para o seu reconhecimento e para o desenvolvimento ideal das suas aptidões, internamente e dentro da comunidade internacional. (in, Diário da República N.º 249 de 28/10/1986). A constituição da Associação deve-se à iniciativa do Sr. Engenheiro Luís Filipe Cerqueira Gomes Nazareth, acessorado por um pequeno grupo de entusiastas. Nesse início de actividade, a Associação esteve especialmente dinâmica, sob a presidência do seu fundador: promovendo um Curso de Formação da responsabilidade do World Council for Guifted & Talented Children; promovendo dois Congressos Internacionais, na cidade do Porto, em 1986 e 1987, nos quais foram conferencistas, eminentes cientistas de numerosos países estrangeiros, com estudos e intervenção neste domínio; iniciando na cidade do Porto, um Programa de Enriquecimento dirigido a crianças e jovens; promovendo "espaços" de formação para pais; tornando-se membro do Conselho Mundial; assumindo a Presidência da Eurotalent; publicando o primeiro livro editado em Portugal para a poio a pais e professores; sensibilizando, através da Comunicação Social e por múltiplas outras formas, a opinião pública. De acordo com o seu escopo, a Associação foi desenvolvendo, ao longo destes dezoito anos, uma pluralidade de actividades desde a sensibilização pública, à formação de profissionais e pais, ao apoio a crianças e jovens e ao intercâmbio com instituições congéneres. A APCS tem vindo, nestes últimos anos, a reforçar essas mesmas actividades com o duplo propósito de criar espaços de liberdade criativa, ocupação e convívio para o integral desenvolvimento dessas crianças e jovens e contribuir para que a sociedade, particularmente a escola, cultive o respeito pela diferença de cada criança e valorize os interesses e habilidades que cada um vier a demonstrar. A APCS organiza a sua actividade a partir de Centros ou Núcleos.

A nossa equipa

Partilhámos experiências
Uploaded image

HELENA SERRA

Assembleia Geral – Presidente
Helena Serra é investigadora na área da educação especial e professora coordenadora jubilada da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Uploaded image

LUÍS NAZARETH

Assembleia Geral – Vogal
Uploaded image

LUÍS AGUIAR

Assembleia Geral – Vogal
Uploaded image

MARCELA PINHO

Direção – Presidente
Licenciada em Filosofia (FLUP), Pós-graduação/especialização em Educação Especial – domínio Cognitivo e Motor (ESEPF), mestre em Ciências da Educação/Educação Especial, com tese no âmbito da Sobredotação (ESEPF).
Uploaded image

Ana Fernandes

Direção – Vice Presidente
Professor na Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti. Possui 12 itens de produção técnica. Participou em 4 eventos em Portugal. Recebeu 1 prémio e/ou homenagem. Actua na área de Ciências da Educação
Uploaded image

José Gouveia

Direção – Secretário
Uploaded image

GERALDO QUINTAS

Tesoureiro – Secretário
Uploaded image

GIL CARVALHO

Direção – Vogal

Testemunhos

Fale connosco